Dia mundial da amamentação – e do amor eterno

Eu já falei uma vez… Nunca tive dúvidas sobre a amamentação. Não me dominava o receio de não poder, não conseguir ou não saber, pois isso me soava quase tão natural quanto a certeza de ter um parto natural.
Quando tive meu surto de blues puerperal, estava amamentando. Chorei feito doida, mas foi de alegria. Me dar conta de que ele havia chegado… Mágico.
Hoje estava pensando sobre o amor de mãe. Aquele amor que todo mundo sempre falou quando você era criança e que quando foi crescendo ouviu “só sendo mãe pra saber” ou “quando você for a mãe, vai entender”… Eu entendi.
Fazendo o Theo dormir hoje, senti uma coisa… uma vontade de abraçá-lo mais forte. Coisas que acontecem sem explicação e sem hora (ou toda hora). Ele estava lá deitadão… depois de ter acordado pela 2ª vez, pois estamos visitando a vovó, então ele está dormindo num quarto que não é o dele (cochilo da tarde). Teve 2 repentes de acordar e choramingar porque estava sozinho… eu corri as 2 vezes para dizer “estou aqui”, então ele grudou na minha roupa e deitou novamente. Fiquei mimando-o da segunda vez, mesmo ele tendo dormido mais depressa nessa hora, e com ele adormecido fiquei babando… Observando esse rosto, perfeição de Deus. Então me vi pensando em como eu amo esse ser. E como esse amor atropela qualquer outro sentimento por qualquer outro ser, inclusive mim mesma.
Talvez seja possível escrever sobre esse tipo de amor com belíssimas palavras, mas eu, hoje, só consigo sentir e expressar com o olhar para ele. Meu mundo mudou, e foi para MUITO melhor.
Beijo²
Nina e Theo

0 Replies to “Dia mundial da amamentação – e do amor eterno”

  1. Lindo Texto Nina, emocionante! Também tive baby blues e meu choro era de agradecimento, um agradecimento a Deus, ao universo, a espiritualidade por ter me proporcionado ser mãe, ser mãe da AL. Momento mágico!
    Beijo
    Débora
    @personalbeeb

Deixe uma resposta