Introdução alimentar e BLW

O que eu vou falar hoje não vai exibir referencias específicas de nenhum profissional formado na área de nutrição infantil. Vou me valer somente da minha experiencia e um pouco de estudo de caso sobre introdução alimentar e BLW, claro.

Depois que me instrui minimamente sobre alimentação infantil, senti calafrios de ver a receita de recomendação de IA para o Theo a partir dos 4 meses. Vamos considerar que cada mãe faz sua escolha de acordo com o que bem entende e com o conhecimento que lhe foi passado pelo profissional que ela confia.
Pois eu não confiei a alimentação do meu filho ao pediatra, como disse, havia me instruído de diversas outras fontes e a IA antes de 6 meses para mim era inviável. Continuo nessa premissa. Mas hoje, após ser mãe pela segunda vez, meu pensamento a respeito disso se desenvolveu um pouco mais. Acompanhe o raciocínio.
Introduzi sucos para o Theo faltando uma semana para os 6 meses, porque no fim eu estava ansiosa por ve-lo se alimentar. Era mais euforia do que principio ou embasamento. Não fez mal a ele. Theo começou a papinha doce e depois a salgada. Como manda o figurino… atual. Jamais triturei, processei ou peneirei o alimento dele. Amassávamos tudo superficialmente com pequenos e macios pedaços para ele treinar a mandíbula (eu acreditava).
Foi quando conheci o fantástico e mágico metodo BLW. Era lindo de ver. Theo se alimentou sozinho por volta de 8 meses. Comia muitas frutas, e com 1 ano já usava até talheres. A hora de comer sempre foi divertida. Você pode ver aqui e aqui os pratos que eu preparava para ele. Aqui na página tem muito mais.

Como oferecer uvas ao bebe no método BLW

Sabendo que o método BLW é tão funcional, passei a utiliza-lo aos 6 meses também quando o Samuel nasceu, certo? Errado. BLW é muito muito bom. E apesar de os especialistas não recomendarem que você o utilize junto com o método tradicional (papinha ou dando na boca da criança) eu apoio que a mãe use o método do seu bom senso e necessidade do momento. Não dá pra ser BLW em todo lugar e nem a todo momento quando se tem dois filhos. Quando se tem um trabalho. Quando se tem compromissos com hora marcada ou quando se come fora de casa (nem sempre é possivel adaptar).
Ainda nem falei sobre o GAG. O tão temido engasgo automático de salvamento. O bebê tem como uma válvula de socorro que se aciona sozinha quando ele esta tentando engolir algo maior do que suporta. Dizem os especialistas que o GAG é um bom sinal de aprendizado e amadurecimento quando se esta no método BLW. Mas (quase) ninguém lembra de te contar que é aterrorizante. [Sabe a manobra de Heimlich? Todo mundo aprende, mas na hora de usar poucos tem essa calma e serenidade]. Principalmente para uma mãe de primeira viagem. Confesso que esses episódios com o Samuel me deixavam bem menos apavorada do que com o Theo (o primogênito). Mas acontece, e você não vê a hora de que aquele pequeno bebe aprenda de uma vez a lidar com os pedaços grandes de comida para não ter um mini infarto a cada hora do papá.
Por fim, comecei a alimentar o Samuel aos 7 meses e meio aproximadamente. Antes disso ele apenas chupava uma frutinha vez ou outra ao me ver comer. O desmame do Samuel, bem, ainda preciso de um post só para isso. Mas aprendi que com a IA não deveria mais me esgotar amamentando.

BLW exige muito mais da mãe do que do bebe. Pois é um método que propõe autonomia da criança. Algo que não estamos preparadas para sentir tão cedo. Mas você deve tentar. Toda experiência deve ser testada antes de se tirar conclusões.

 

Considerações Finais sobre IA e BLW

 

– um bebe que mama no peito não precisa tomar água. NÃO PRECISA.
– a amamentação deixa de ser em livre demanda a medida que inicia a introdução alimentar. Nada de livre demanda para bebe de 2 anos.
– amamentar depois da introdução alimentar ainda é importante mas não se esgote.
– a criança não deve começar a comer imediatamente aos 6 meses (nem menos) mas sim quando demonstrar que esta pronta para essa nova etapa. Não existe uma chave que vira dentro dela e TEM que começar a comer, entende?
– um sinal claríssimo de que o bebe esta pronto é quando ele já pode se sentar sem apoio. Antes disso seu pescoço nem tem a sustentação necessária para lidar com a deglutição voluntária.
– prefira oferecer as frutas do que suco da fruta. A altíssima concentração de açúcar (frutose) é algo que seu bebe não precisa. Vai por mim, nessa.
não amasse, triture, peneire o alimento do bebe. Ele precisa aprender a sentir a textura dos alimentos para desenvolver a mastigação. Além disso ao desmanchar o alimento ele perde algumas características nutritivas.
– tempero é alho e cebola.
– quando o bebe não quiser comer, é porque não esta com fome. Tente novamente mais tarde.

*caso ele tenha problemas de ganho de peso, o pediatra deve ser consultado, claro.*
– logo no início da introdução alimentar, se o bebe mama no peito, amamente antes da refeição. SIM. Ele ainda esta em transição, se estiver com fome na hora de comer, ira se irritar e não ira comer. (Contraditório né? Mas é isso mesmo).
– deixe o bebe brincar com a comida. Ele precisa conhecer o alimento. Cores, texturas, sabores. Depois você pode dar na boca dele.
– há quem condene fazer aviãozinho pois estaria iludindo a criança sobre o momento de se alimentar/brincar. BALELA. Mais vale a interação com seu filho do que os rótulos que artigos de pessoas sem filhos criam em você. Vai ter aviãozinho, trenzinho, submarino e motoca.

 

Tem mais dicas? Deixe nos comentários para gente compartilhar

Bom apetite

14 Replies to “Introdução alimentar e BLW”

  1. Boa noite! Que técnica interessante, nunca tinha ouvido falar, porém lendo eu imagino e acredito que ajuda muito no desenvolvimento da criança!

  2. Nossa que incrível, não conhecia essa técnica e achei super válido esse post! Não tenho babys, mas sempre bom aprender mais um pouco! Arrasou ❤

  3. Nossa que incrível, não conhecia essa técnica e achei super válido esse post! Não tenho babys, mas sempre bom aprender mais um pouco ❤

  4. Eu usei o método com o Rafa é muito mais com o Felipe! Eu optei por amamentá-los exclusivamente sem nem água até os 6 meses o pediatra amava saber que nem ia precisar insistir para isso hahah! O Felipe não gosta que ninguém dê nada na boca dele às vezes estou com pressa quero dar para não sujar tudo mas é difícil Convencer ele!! Haha eu amei o post e vou compartilhar beijooo

  5. Nossa! Seu post foi muito eaclarecedor… Principalmente no meu caso, que ainda não tenho filhos e que não fazia ideia que algumas coisas poderiam acontecer com a criança, como por exemplo o GAG.

  6. É super importante uma educação alimentar desde a gestação. Uma vida saudável reduz muitas doenças e principanete no crescimento e desenvolvimento. 👏🏻👏🏻👏🏻

    1. casal americano.. bem provavel que seja essa técnica rs .. Por lá é bem mais comum e disseminado esse contexto.
      Obrigada pela visita :*

  7. Não conhecia o BLW na época da Melissa baby, eu era um tanto quanto desinformada para estes assuntos, confesso. Com certeza é um método que eu faria de olhos fechados porque acho a premissa absolutamente incrível, dando poder e autonomia ao bebê. Gostei de vivenciar através do seu texto sua experiência com o assunto e que bom que seu relato pode ajudar outras mães que estão começando a IA com seus pequenos.

    1. Verdade na época da Melissa que é um pouco antes do Theo não tinha muita coisa ainda. Hoje está mais amplo o conhecimento mas é sempre bom a gente saber a experiência de pessoas reais 🙂
      Obrigada pela visita Bia :*

Deixe uma resposta