SMAM 2017 – Semana Mundial do Aleitamento Materno

Hoje inicia a Semana mundial do Aleitamento Materno, uma campanha para incentivo da amamentação que já está bem difundida em nossa sociedade e vem trazendo benefícios para mamães e bebes desde 1992.

O tema deste ano é “Trabalhar juntos para o bem comum” (Sustaining breasfeeding – together no texto original). A cada edição uma temática é selecionada para direcionar as atividades realizadas neste período. A proposta de “Trabalhar juntos para o bem comum” sugere inserir o pediatra – a quem a mãe recorre (ou deveria recorrer) em casos de dificuldade no início do aleitamento – no contexto atualizado de informação e suporte à família.

 Para a dra. Amal Omer-Salim, codiretora-executiva da Aliança Mundial para as Ações de Aleitamento Materno (Waba), as atividades da Semana do Aleitamento Materno, em nível global, mostram a importância da sociedade, em especial dos médicos e outros profissionais da saúde, de “trabalhar juntos para identificar o que funciona e superar os desafios comuns na promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno”. (SBP)

Recentemente postei sobre a saudade de amamentar. Clique na foto para ler

Mais que inserir os profissionais da área da saúde neste contexto tão importante, precisamos nos orientar cada vez mais para a importância do aleitamento materno e priorizar ferramentas para a mãe que amamenta. Muitas mães têm dificuldades nesse início da vida do bebê. E os relatos que já ouvi sobre ter cessado a amamentação por falta de auxilio ou informação são infindáveis.

Nossa sociedade carece de apoio as mães no que diz respeito ao espaço e tempo de dedicação ao recém-nascido e tudo que permeia a maternidade. A OMS recomenda que o bebe seja amamentado em livre demanda até os 6 meses EXCLUSIVAMENTE de leite materno, mas nossa política empresarial ainda prevê apenas 4 meses de licença maternidade, para começar a conversa.

Após o período da licença maternidade, a mãe ainda tem o direito de 2h períodos de ausência / afastamento do posto de trabalho para amamentar, mas nem todas sabem dessa informação. Quando sabem, sentem-se impossibilitadas de atender a necessidade do bebe em tão pouco tempo e acabam por ceder ao desmame precoce. Ou ainda acabam por deixar o mercado de trabalho, muitas vezes desamparadas no quesito profissional, para se dedicar aos cuidados do filho.

O art. 396 da CLT estabelece que para amamentar – licença maternidade – o próprio filho, até que este complete 06 ( seis ) meses de idade, a mulher terá direitodurante a jornada de trabalho, a 02 ( dois ) descansos especiais, de meia hora cada um.

Os benefícios de uma amamentação prolongada e segura são inúmeros. Casos de bebes que adoecem caem drasticamente em sociedades cujas leis apoiam o momento maternidade e amamentação dedicada.

 

16 Benefícios da Amamentação

1. O leite materno é o alimento mais completo e equilibrado, pois atende a todas as necessidades de nutrientes e sais minerais da criança até os 6 meses de idade.
2. Fácil de ser digerido, provoca menos cólicas nos bebês.
3. Colabora para a formação do sistema imunológico da criança, previne alergias, obesidade e intolerância ao glúten.
4. Contém uma molécula chamada PSTI, responsável por proteger e reparar o intestino delicado dos recém-nascidos.
5. O momento da amamentação aumenta o vínculo entre mãe e filho e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas.
6. Previne a anemia.

7. A sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária do bebê.
8. Quando o ômega 3 está presente no leite materno, o que varia de mulher para mulher de acordo com sua alimentação, ele ajuda no desenvolvimento e crescimento dos prematuros nos primeiros meses de vida.
9. Ajuda no desprendimento da placenta, contribuindo para a volta do útero ao tamanho normal. Com isso, também evita o sangramento excessivo e, consequentemente, que a mãe sofra de anemia.
10. Protege a mãe contra o câncer de mama e de ovário.
11. Estudo publicado na American Journal of Obstetrics revela que a amamentação reduz o risco de a mulher desenvolver síndrome metabólica (doenças cardíacas e diabetes) após a gravidez, inclusive para aquela que teve diabetes gestacional.
12. A amamentação dá às mães as sensações de bem-estar, de realização, e também ajuda a emagrecer, pois consome até 800 calorias por dia (mas dá uma fome…).
13. É de graça, natural, prático, e não desperdiça recursos naturais.
14. Está sempre pronto para ser transportado e ingerido (não precisa nem aquecer).
15. Protege a mãe contra doenças cardiovasculares, segundo estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. Para a pesquisa, foram analisadas 140 mil mulheres no período pós-menopausa, ou seja, com média de 63 anos, e o resultado mostrou que aquelas que amamentaram por mais de um ano tiveram 10% menos risco de sofrer com essas doenças, se comparado com aquelas que nunca amamentaram.
16. Bebês que mamam exclusivamente no peito até os seis meses têm menos risco de desenvolver asma e artrite reumatoide e recebem uma proteína que combate vírus e bactérias do trato gastrointestinal.

 

A SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) tem projetos para aperfeiçoamento e capacitação de pediatras e profissionais de saúde em virtude do SMAM para que este quadro melhore. Você pode saber mais acessando este link.

Nesta época costumam ocorrer também eventos realizados pela sociedade e por grupos independentes de apoio ao aleitamento materno como o Mamaço (falaremos no próximo post)

 

AMAmente.

2 Replies to “SMAM 2017 – Semana Mundial do Aleitamento Materno”

Deixe uma resposta