Tirinha – Theo esponja em: vamos caçar agua viva?


Hoje foi um dia tão cheio de atividades que não caberia num post só e nem eu tive mão pra registrar tudo em fotos. Posso falar um pouco do que foi:

Acordamos na casa da vovó Cidinha, almoçamos o delicioso espaguete do papai, nham. Vimos maratona hi5 na Discovery Kids. Ensaiamos, ensaiamos e por fim saímos para um passeio sem rumo definido. O ônibus não demorou e optamos pelo parque. Porquê nao tem foto do parque? Assim que pisamos na areia, choveu. Tentamos passear um pouco por la e o Theo até curtiu alguns brinquedos enquanto fugiamos dos pingos mais fortes, mas, não deu jeito. Menos de meia hora no parque e lá estávamos nós no ponto novamente. “Vamos pra casa? Vamos finalmente ao shopping?” Fiquei divagando com o papai e decidimos tentar o shopping. Dentro do bus, no seu segundo passeio nesse veículo, ele se comportou muito melhor que da primeira vez. Não tentou descer do colo nem queria colocar a cabeça pra fora da janela. ..rs. porém, mais uma vez… a chuva apertou e o bus pararia próximo a entrada, mas não o suficiente para nos privar da chuva. Mesmo assim descemos na intenção de esperar a chuva passar.
Theo se entretendo com os raios e me abraçando forte nos trovões. Papai pingando em bicas por conta do calor. Mamãe encardida de areia do parque, onde Theo conseguiu se lambuzar em 20 minutos. “Vamos pra casa?” Papai deu a luz. Pegamos outro bus, dessa vez não estava lotado e fomos pra casa novamente.
Fiquei decepcionada. É bem difícil ficar sem carro, só se da conta de como faz falta quando esta sem ele. Se estivéssemos motorizados, certamente a chuva teria passado desapercebida. Seria mero detalhe.

Chegamos na casa da vovó Cidinha novamente e entramos no condominio ainda debaixo de uma garoinha… pegamos as coisas, o carrão…

E tomamos o caminho da casa da vovó Frank. Ao pegar a rua, a chuva havia parado, mas antes da esquina apertou novamente. “Banho de chuva, eba! ” tirando o julgamento que provavelmente recebemos de muitos na rua, foi divertido. E fazendo um balanço do dia que pareceu perdido, nos demos conta que foi, na verdade, um dos mais divertidos que já tivemos. As casas não são distantes, mas deu pra molhar bem. Brincamos e rimos muito pelo caminho. Cerca de 15 minutos de caminhada. Na metade me preocupou o friozinho e enrolei nele o sling. Me arrependo de não ter fotografado. Ele ficou muito engraçado e aceitou o pano sobre a cabeça e os braços, como Maria.
Faltando 2 quarteirões deu de querer dormir, com os olhos pesados, enclinou a cabeça e sentiu as gotinhas no rosto, riu. “Ta chegando, filho. Fica acordado aí. Vira o volante, dirige aí…” ele segurou o volante até chegar em casa, não quis colo e se manteve acordado com cara de bravo daí em diante. Mais uma vez queria fotografar e não o fiz.

A aventura terminou em casa, quando fomos direto pro chuveiro e parece que o sono foi tirado com a mão. Banho quentinho, ficamos os 3 no quarto brincando de bagunça, cosquinha, caca (cavalinho), vendo tv… delícia. Ele não dormiu.
Chegou visita e descemos. A madrinha e o padrinho do papai. Trouxeram o presente da dinda do Theo (filha deles) e ele esqueceu do mundo.

Mostro o brinquedo no próximo post.

Brincou a beça hoje. Carrinhos, dinocarros, caixa de papelão que virou toca (fiz uns buracos. .. coisa pra outro post), bob esponja caçador de água viva… ufa.

Depois de alguns minutos concentrado vendo o tio Léo jogar gta5 , vi como coçava os olhinhos e ofereci colo. Sem chupeta, sem balanço, sem mamadeira, deitou, se aconchegou e dormiu em segundos.

Boa noite! Beijo2!

Deixe uma resposta